Ateliers Criativos


O atelier é um projeto que nasceu através duma parceria com a cidade italiana de Reggio Emilia que possui um dos modelos pedagógicos mais inovadores, para a educação de infância. Este projeto tem na sua gênese fundamentos socioconstrutivistas e está concebido como um espaço metafórico que apoia a forma como está estruturado o conhecimento, garantindo uma abordagem pedagógica mais global e flexível, conectando áreas curriculares, corresponde à forma como aprendemos o mundo.

Um dos objetivos do atelier é criar condições para a criança/aluno assumir o seu papel de protagonista na representação, interpretação e projeção do seu conhecimento, garantindo uma clara democratização da escola. Assim, a metodologia de “trabalho de projeto” é parte integral da prática pedagógica do atelier, sendo um processo dinâmico e imprevisível que evoluiu em direcções distintas e sem resultados pré-definidos.

• O atelier é um espaço onde se constroem diálogos com a sala de aula, a biblioteca, a cozinha, as famílias, os museus, associações locais e tantos outros espaços de aprendizagem, garantindo uma (re)construção de significados e o reconhecimento que a criança tem um papel ativo e participativo no processo de aprendizagem.

• O atelier é um meio para conectar disciplinas, histórias ou conteúdos curriculares, contrariando um sistema educativo compartimentado que não corresponde à forma como aprendemos o mundo. O atelier é uma ferramenta que fomenta a componente criativa da aprendizagem, através de contextos pedagógicos mais flexíveis que permitem uma maior variedade de perceções, imagens e representações, facilitando a interdisciplinariedade.

• O atelier é um palco onde a criança/aluno assume o seu papel de protagonista na representação, interpretação e projeção do seu conhecimento, garantindo uma clara democratização da escola.

• O atelier é um recurso que permite à equipa pedagógica promover a documentação como instrumento que torna o trabalho pedagógico visível e passível de interpretação, diálogo, argumentação e compreensão. A documentação é um riquíssimo instrumento de avaliação subjetivo e construtivista em oposição aos modelos existentes com base em critério estáveis, uniformes e objetivos.

• O atelierista é um profissional que na escola apresenta uma formação diferente, encorajando as crianças/alunos a vivenciar experiências pedagógicas tão variadas quanto possível.

• O atelierista é um interlocutor das múltiplas interpretações que a criança poderá desenvolver a partir de um determinado tema.

• O atelierista é um mediador dos processos de aprendizagem, estando atento às capacidades cognitivas, motivacionais ou percepionais de cada criança, promovendo um acompanhamento individualizado e diferenciado.

• O atelierista é um especialista que promove o diálogo nos espaços de aprendizagem, levando as crianças/alunos a questionarem-se acerca das suas opções e a procurarem de uma forma cooperativa novas soluções para os problemas que surgem.


FUNCIONAMENTO DO ATELIER

O atelier e o atelierista são recursos privilegiados que as Escolas D’Óbidos dispõem e que deverão resultar num trabalho de complementaridade e colaboração, inspirando a criação duma “atmosfera” pedagógica global, onde se cruzam as diferentes linguagens. Os ateliers estão presentes em dois jardins de infância, três escolas dos 1º e 2º ciclos do ensino básico (CEB) e na escola do 3º CEB e secundário, com uma frequência semanal e cerca de mil crianças/alunos e cinquenta professores de diversos grupos disciplinares. Desde 2010 que a Fundação Reggio Children acompanha a criação deste projeto e a formação dos atelieristas de Óbidos.

Os ateliers assumem diferentes configurações, decorrentes da etapa, ano ou ciclo de ensino em que estão presentes e de acordo com o perfil do atelierista que lhe confere uma identidade própria, fomentando a componente criativa da aprendizagem, através de contextos pedagógicos mais flexíveis que permitem uma maior variedade de perceções, imagens e representações, por forma a criar uma diálogo interdisciplinar. A este propósito, refere o relatório da Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos que o atelier tem-se revelado, na sequência de um trabalho articulado e intencionalmente planeado com os docentes, uma mais-valia na promoção de aprendizagens significativas em algumas áreas.

O atelierista e o educador/professor têm um papel fundamental neste processo, para lançarem as hipóteses iniciais da acção e para analisarem a forma como os projetos são aprofundados pelas crianças. É neste tópico que a documentação pedagógica se torna tão relevante para a avaliação e auto-avaliação dos projetos porque constituem uma ferramenta para a reflexão, interpretação, diálogo, negociação e conexão entre a teoria e a prática. A documentação torna visível e passível de discussão todo o processo de construção de conhecimento.

O atelier tornou-se, rapidamente, num projeto de interesse para profissionais e/ou especialistas em educação, decisores políticos de todo o mundo que nos têm procurado e que de alguma forma, projetam o nome deste Agrupamento de Escolas. Um exemplo, é o interesse que o atelier tem despertado pela Universidade de Harvard, pela Fundação LEGO ou pelo Centro de Formação de Portovello (Espanha) e Universidade de Vigo, que já visitaram o nosso programa diversas vezes e do qual tem resultado o acolhimento de alunas do curso de educação de infância, que durante alguns meses estão no Jardim de Infância do Arelho, no Jardim de Infância de Óbidos ou nos ateliers dos complexos escolares, para concluirem a componente da prática formativa.

Guardar